Menu

Resenha: Plastic Memories


   E o anime da vez é: Plastic Memories! Porém, antes de começar essa resenha preciso dar uma notícia importante. Lembram que no meu último Filosofando Nada eu disse que ia tomar vergonha na cara e começar a assistir animes através de fansubs sérios ao invés de speedsub? Então, eu cumpri minha promessa; Plastic Memories foi assistido através de uma qualidade e tradução maravilhosos, sem risco de causa câncer no olho. 

   Voltando. Plastic Memories é uma obra original, ou seja, ele não é a adaptação de nenhum jogo, mangá ou light novel. O anime se passa em um futuro onde foram desenvolvidos androides conhecidos como giftias. Os giftias possuem a vida útil de nove anos; após esse tempo eles precisam ser reavidos e desligados antes que se tornem perigosos. Quando reavidos, as memórias dos giftias são apagadas. Tsukasa Mizukagi é um jovem que, após não conseguir passar no vestibular, arranja um emprego em dos departamentos que faz a coleta dos giftias cujas vidas úteis estão vencidas. Sua parceira no trabalho é a giftia Isla, uma garota um tanto distante e atrapalhada.

   A premissa de Plastic Memories é muito boa. Os PVs do anime já te deixam cheio de feels, os primeiros episódios também te deixam cheio feels. Porém, ao longo do seu desenvolvimento, o anime deixou um pouco a desejar. Não foi nada muito grande, não foi um anime horrível, mas acho que todos esperávamos um pouco mais do anime. Entretanto, foi legal. É um anime bem bonitinho. É fofo.

   Plastic Memories tem uma trilha sonora boa. A abertura, o encerramento, as músicas de fundo... São bem envolventes, mexem o coração.... Isso compensou a falha no desenrolar dos fatos e tudo o mais. E os personagens... bem, os personagens são bons. Só a Isla já é uma personagem e tanto. Ela é atrapalhada, engraçada, fofinha.... Ela faz umas caretas bizarras, assustadoras, engraçadas... O Tsukasa é o típico bom moço. Na verdade, "bom moço" é uma expressão que define exatamente o Tsukasa. Dedicado também é um adjetivo que faz parte da personalidade do cara.

   Os coadjuvantes também não ficam por menos. A Michiru é a típica tsundere, então ela é aquela garota que vai bater em alguém, ou em várias pessoas ao longo do anime. Mas ela também tem aquele lado doce e compreensivo, principalmente com a Isla. Na verdade, ela é a única capaz de lidar com a Isla com algum tipo de sensibilidade. Ela é muito chata, a Michiru é toda cheia dos mimimi, mas ela é tão chata, mas tão chata, que acaba sendo legal. O parceiro dela é o Zach, um giftia criança, apenas uma peste. O garotinho é tipo aqueles irmãos mais novos que vão fazer de tudo para te constranger, tudo mesmo. O Zach é muito engraçado. Eu sempre gosto daquelas crianças pestes dos animes.

   A  Kazuki é a chefona do departamento. O chefe oficial é outro, mas quem coloca todo mundo para trabalhar é ela. A Kazuki tem uns cabelos vermelhos maravilhosos e uma personalidade agressiva e durona. Isso piora quando ela se entope de saquê. Kazuki é ex-parceira da Isla e é louca pela garota, então, ela quer muito proteger a Isla e vive dando umas duras no Tsukasa. O parceiro da Kazuki é o Constance, um dos poucos com bom sendo naquele lugar.

   Em contraposição à Kazuki temos o Yasutaka, um veterano do departamento que é mais vagabundo do que sei lá o quê; Yasutaka é aquele personagem experiente, conquistador barato, quase bebum e quase um tarado. Ele é bem engraçado. A parceira dele é a Sherry, ela tem bom senso e ela sofre muito porque o Yasutaka deixa todo o trabalho para ela, coitada.

   E temos o chefe oficial do departamento, o Takao, um senhor cuja a autoridade é zero e que tem sérios problemas com sua filha. Ele está sempre falando de como a filha dele não o respeita mais, isso seria bem trágico se não fosse cômico.


   Num conjunto todo, Plastic Memories é um anime legal. Vale a pena perder algumas horas da sua vida com ele. Eu esperava mais, achei que ele fosse ser destruidor, só feels. Ao meu ver ele tinha potencial para um Ano Hana, um Angel Beats ou um K-On, mas ele não se desenvolveu dessa forma. Mas é um anime legal, não me arrependo de tê-lo assistido. Dos animes one cour ele foi um dos melhores, acho, e tiveram cenas bem bonitas, bem bonitas mesmo. Plastic Memories foi bonito. Podia ter sido lindo? Podia. Mas foi bonito, e eu até arriscaria dizer, tocante.

9 comentários:

  1. Um amigo me indicou esse anime e acabei vindo parar aqui rsrs
    Parabéns, você escreve muito bem, depois de ler essa resenha cheguei a conclusão de que preciso assistir. Acabei lendo outras e conclusão: estou com uma lista cheia. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, muito obrigada pelo seu elogio. De verdade, cada pessoa que lê um resenha minha é muito importante, eu faço tudo com muito carinho.

      Plastic Memories é uma história muito bonitinha, vale a pena conferir sim!

      Excluir
  2. Eu particularmente não gostei muito do anime. Assim como você disse, podia ter sido melhor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu gostei, mas esperava mais. Eu pensei que teria mais drama, mas num geral é uma história legal.

      Excluir
  3. Incrível,minha meta é conhecer animes aqui para vê-los depois,você escreve com muito sentimento :)
    Mas me espantei...Sou um cara super sangue frio e não fiquei tocado com Ano Hana(achei até infantil demais),por exemplo,que esta no topo entre animes mais "deprê" em várias analises. Confesso que na cena final de Plastic Memories meu choro atropelou todos os pensamentos.Não consigo entender como sua reação não foi igual a essa em virtude dos textos que tenho lido nesse blog kkkkk

    Parabéns;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, obrigada. Acho que esse texto é de uma época que eu escrevia de uma forma bem emocional ainda...

      Fico feliz que o blog te ajude a descobrir novos animes e que você os aprecie.

      Pois é, Ano Hana me destruiu, mas meu choro com Plastic Memories foi bem controlado. Talvez tenha relação com a época em que estava em minha vida quando assisti ou pelo fato de Ano Hana reunir crianças e morte, e ser mega dramático haha. Mas Plastic Memories é uma história bem bonita à sua maneira.

      Obrigada por comentar e até mais.

      Excluir
    2. Eu, um pouco diferente de suas opiniões não achei ruim, e acho que felizmente não consegui me segurar no choro, foi do episodio 8 até o 12, mas também acho que poderiam ter dado uma fechada naquele final nem que fosse numa OVA

      Excluir
  4. Ótima resenha, parabéns ;). Gostei muito de Plastic Memories, assisti tudo quase em um dia, achei o anime mto bom. Como não entendo muito disso de desenvolver a história e talz, não posso comentar sobre isso, mas posso dizer q chorei litros na ultima cena, q foi muito tocante. (Ainda estou curioso para saber quem é o(a) novo(a) parceiro(a) do Tsukasa.

    Parabéns pelo blog e pela resenha, muito boa.

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha e concordo com você, apenas o último episódio deixa aquela angústia e uma leve lágrima ao rosto, não sei se já assistiu shigatsu da Kimi no uso ou clannad, esses foram até então, os melhores na categoria na minha opinião.

    ResponderExcluir